QUEM SOMOS

Fundada em 2013 por Bruno Rolf Stigger, Luiz Antonio Correa e Amílcar  D’Avila de Mello, a Tekoá et Orbis traz aos leitores obras que contribuem para o desenvolvimento humano harmonioso.

Urbi et Orbis era a saudação que abria os discursos romanos. Era, também, o dístico que representava a civilização dos europeus que conquistaram a América. O papa ainda abençoa assim os fiéis na Páscoa e no Natal. Urbi é a cidade de Roma, o coração do Orbis, o mundo.  A união do Tekoá – a aldeia onde ocorre o modo de ser guarani – e do Orbis simboliza a harmonia que poderia ter existido entre esses dois mundos. Foi por essa razão que escolhemos esse nome para a nossa editora.

A obra com a qual iniciamos nossas atividades é intitulada “Primórdios da Justiça no Brasil: Coletânea de documentos castelhanos do século XVI”, do autor Amílcar D’Avila de Mello. Fruto de cinco anos de pesquisas no Brasil e no exterior, ela é prefaciada pelo ministro Marco Aurélio Mello e traz uma valiosa contribuição à história jurídica do país. De projeto gráfico-editorial requintado (652 páginas fartamente ilustradas, capa dura, etc.), a obra desafia a crença de que as primeiras e mais variadas manifestações do Direito Romano Germânico lavradas na Terra Brasilis brotaram da pena de escrivães portugueses. Surpreendentemente, os textos reunidos nesta coletânea bilíngue – até então inéditos no país – foram escritos por letrados a serviço da Coroa castelhana.

Contato